Especialização em Perturbações Alimentares Pediátricas - edição 2022/23

Início a 17 de Setembro de 2022
Carga Horária 240h
  • Enquadramento

    Apesar de parecer algo tão simples e natural, comer é bem mais complexo que andar ou falar, exigindo o uso coordenado e harmonioso de 31 músculos, 6 pares cranianos e 8 sistemas sensoriais.

    Esse processo, ao contrário do que se possa pensar, é apenas instintivo nas primeiras semanas, tornando-se rapidamente num comportamento apreendido, fortemente influenciado pela combinação de vários fatores, com maior ou menor preponderância.

    A criança passa de um padrão de sucção imaturo para um padrão mais maturo e complexo; aprende a comer alimentos em puré e sólidos gradativamente mais duros, mais consistentes e com texturas mais desafiantes. Simultaneamente, espera-se que vá treinando a manipulação de diferentes utensílios até atingir o seu domínio e autonomia na alimentação.

    No entanto, este processo de aprendizagem não é igual para toda a população neopediátrica, sendo cada vez mais frequente a ocorrência de dificuldades alimentares, num determinado período da vida do bebé e da criança com impacto na dinâmica familiar e nas relações com os cuidadores.

    Algumas dessas dificuldades repercutem-se nos parâmetros de desenvolvimento do bebé e da criança enquanto outras não são impeditivas de um desenvolvimento harmonioso. Algumas podem melhorar e desaparecer, outras podem reaparecer mais tarde e sob outras formas ou agravarem-se e tornarem-se crónicas com distintos níveis de prejuízo desenvolvimental.

    De acordo com os estudos científicos mundiais, cerca de 30% das crianças com desenvolvimento neurotípico e 80% das crianças com patologia do neurodesenvolvimento apresentam dificuldades alimentares, sendo fundamental a atuação de uma equipa interdisciplinar com conhecimentos em diferentes áreas de saúde modo a proporcionar uma resposta adequada, sustentada nas últimas evidências científicas.

    Nesta especialização reuniu-se um grupo de profissionais de saúde com uma vasta e meritória experiência na área das perturbações alimentares pediátricas.

    Assim, é a nossa missão neste plano de estudos oferecer ao Terapeuta da Fala a possibilidade de compreender, refletir, pesquisar e atuar com excelência junto do bebé, da criança e do jovem com desafios alimentares bem como das suas famílias e cuidadores, numa perspetiva global e interdisciplinar, individualizando as práticas à população que o procura.

    Comer é um processo de aprendizagem, muito para além da boca, que envolve múltiplas variáveis bem complexas e heterogéneas e como tal, exige uma visão ampla, em que a solução passa pela articulação de várias áreas da saúde, com um objetivo em comum, assegurar a existência de condições para uma alimentação eficaz e segura.

  • Obejetivos Gerais

    Proporcionar ao Terapeuta da Fala a aquisição de um vasto leque de conhecimento na área das perturbações alimentares infantis, a partir das suas diversas conceções e reconhecendo as suas implicações teóricas e metodológicas.

    Obejetivos Especificos 

    Dotar o Terapeuta da Fala de conhecimentos e competências para o atuar desde o nascimento até à entrada na idade adulta, nas vertentes de profilaxia, habilitação e reabilitação das disfunções da função alimentar;

    Capacitar o Terapeuta da Fala para o processo de avaliação, diagnóstico e intervenção da população neopediátrica com alterações na função alimentar, tendo como base a compreensão de aspetos orgânicos, oromotores, sensoriais, emocionais, comportamentais e funcionais envolvidos nas especificidades dos quadros de dificuldade alimentar pediátrica;

    Habilitar o Terapeuta da Fala para avaliar a eficácia das suas práticas e proceder aos devidos reajustes sempre que necessário;

    Conhecer as áreas de avaliação e intervenção correlacionadas através da partilha de conhecimentos entre os diferentes profissionais que poderão constituir as equipas de atuação junto dos bebés, das crianças e dos jovens e das suas famílias e cuidadores;

    Favorecer a formação crítica e criativa do Terapeuta da Fala destacando a importância do seu papel numa equipa interdisciplinar em qualquer contexto que atue, junto da população neopediátrica;

    Potencializar o raciocínio clínico baseado numa grande diversidade de casos clínicos, quer em contexto hospitalar como em Unidades de Cuidados Intensivos Neonatais e Pediátricos, quer em contexto de ambulatório, unidades de referência especializadas, creches, Jardins de Infância e Escolas;

    Incentivar e apoiar o Terapeuta da Fala a desenvolver atividades de pesquisa e investigação, na área das Perturbações Alimentares Pediátricas, permitindo a melhoria da prática profissional e o crescimento da Terapia da Fala neste âmbito.

  • Carga Horária

     240 horas

  • Duração

    12 messes 

    Setembro de 2022 à Julho de 2023

  • Destinatários

    Terapeutas da Fala e estudantes do 4º ano da licenciatura em Terapia da Fala.

  • Número Clausus

    Mínimos de alunos 15  e Máximos de  alunos 25

  • Horário

    O conteúdo para autoestudo (assíncrono), será disponibilizado de acordo com as datas definidas no calendário da formação. Os encontros síncronos com o formador, serão nas datas e horários descritos no calendário da formação.

    O horário das aulas síncronas com os formadores (Plataforma Zoom), para esta formação, está estipulado (podendo haver exceções), para serem realizados aos sábados das 16h às 21h e domingos, das 09h00 às 14h00 (horário de Lisboa-Portugal).

  • Local

    Instituto Epap - EAD - ensino a distância

    Avenida, António Serpa, 32 - 3 D

    Salas de Formação 1º andar

    1050 - 027 - Lisboa

  • Valores

    Valor total 2.240€ (dois mil dizentos e quarenta euros)

    Inscrição - 80€ (oitenta euros), após a sua inscrição

    + 12 parcelas de 180€ (cento e oitenta euros)

  •  

    Metodologia

    Expositivo – Apresentação multimédia; Visionamento de vídeos; Interrogativo – Formulação de questões dirigidas / abertas; Ativo – Estudos de caso; Resposta a fichas de atividade / testes de avaliação online.

    As sessões decorrem em ambiente e-learning, através da plataforma de formação a distância, a qual possui diversas ferramentas formativas para ministro de sessões síncronas e assíncronas, bem como para realização de atividades pedagógicas e avaliações. O endereço da plataforma de aprendizagem virtual é: https://www.epapead.institutoepap.com/

    Cada formando/a receberá as credenciais de acesso à plataforma e-Learning na sua caixa de e-mail, nomeadamente utilizador e senha.

    Para assegurar confidencialidade da senha, será necessário que cada formando/a proceda à alteração da senha. A nova senha deverá ser alfanumérica (constituída por algarismos, letras minúsculas / maiúsculas e/ou símbolos). 

    Cabe a cada formando/a salvaguardar os dados de acesso à plataforma e-Learning, não fornecendo os mesmos a terceiros. O Instituto EPAP não terá acesso às novas credenciais. Contudo, o/a formando/a poderá recuperar a senha, se necessário. Para o efeito, O Instituto EPAP disponibilizará o nome de utilizador, a partir do qual o/a formando/a terá indicação da senha na sua caixa de e-mails.

  • Avaliação das Apredizagens

    A avaliação da aprendizagem da formação assenta nos seguintes critérios e ponderações:

    - 100% Competências técnicas (desempenho através de instrumento de avaliação de diagnóstico de aproveitamento formativo (teste), composto por 50 perguntas de escolha de verdadeiro ou falso, disponibilizado na Plataforma Moodle do Instituto EPAP na página do curso). A cotação total do teste é de 20 valores, distribuídos pelas perguntas. A nota mínima e aproveitamento é de 10 valores, de acordo com a classificação europeia de classificação.

  • Outras Informações

    Filosofia

    Esta formação oferece um conteúdo teórico atualizado, com atividades que o formando deverá cumprir que favorece o raciocínio clínico e que promove uma prática clínica basada na demonstração de técnicas terapêuticas de vanguarda, num formato de aprendizagem claro, objetivo e conciso. É uma formação que reúne a otimização do tempo e a excelência na qualidade do conteúdo.
    Este curso é uma mais-valia ao nível curricular para finalistas de mestrado, de licenciatura, de pós-graduação, de especialização e no âmbito do prosseguimento de estudos e inserção de mercado de trabalho.

    Regime de Faltas

    O limite de faltas é definido tendo em consideração a modalidade de formação, a forma de organização da formação e/ou regulamentação aplicável:

    Para formação em sessões síncronas será admitido o limite máximo de 10% de faltas, das quais 5% justificadas e 5% injustificadas.

    Inscrições

    O Instituto Epap reserva o direito de não realização da formação se não for preenchido o número mínimo de alunos.

  • Certificação

    Após conclusão da componente curricular do curso o formando poderá requerer o seu certificado de conclusão. Esta certificação é feita através da Plataforma SIGO - Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa, em conformidade com a Portaria nº 474/2010, de 8 de julho. O Certificado será, posteriormente, enviado pelos CTT – Correios de Portugal, num prazo máximo de 30 dias úteis, após lançamento da nota do curso na pauta de avaliação final.

    No certificado constará a nota final obtida no curso e respetivas notas de cada módulo. Todavia, isto só se verificará caso o formando cumpra os critérios de avaliação e obtenha aprovação no curso (i.e., nota superior a 9,5 valores, quer no final de cada módulo, quer na totalidade do curso). No caso de não cumprimento destes critérios, o formando receberá apenas um certificado de frequência, onde constará o número de horas e respetivos conteúdos lecionados. O formando poderá solicitar melhoria de nota, tendo esta um custo associado.

Coordenação

  • adriano rockland

    Tânia Dias

    Terapeuta da Fala

    Tânia Dias - Licenciada em Terapêutica da Fala pelo ESTSP-IPP (2001);

    Mestre em Educação Especial: Domínio Cognitivo e Motor - IPCB-ESE (2010);

    Terapeuta da Fala no Serviço de Pediatria (Centro de Desenvolvimento), desde 2002 até à atualidade e apoio ao berçário e à Unidade de Cuidados Especiais ao Recém-Nascido da ULSCB, EPE;

    Responsável da área de Terapia da Fala (2004-2021) e Coordenadora das Terapeutas da Fala (desde 2021) da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, EPE;

    Conselheira em Aleitamento Materno (2013);

    Responsável da Consulta de Disfunção Alimentar Pediátrica na ULSCB, EPE (Janeiro de 2020).

    Formação avançada em dificuldades alimentares infantis: SOS Approach to Feeding Therapy, Get Permission, Talk Tools (nível 1 e nível 2 de OPT; nível 1 – Feeding Therapy: a Sensory-Motor Approach, Sensory Motor Approach to Modified Baby Led Weaning, Mastering Masticacion, A Sensory Motor Approach to Feeding in the Down Syndrome Population, Prevention of Orofacial Myofunctional Disorders in the 0-3 Population), Estimulação Tátil-Térmico-Gustativa, Disfagia Neonatal e Pediátrica, Baby Led Weaning e Alimentação Responsiva.

    Elemento do Departamento de Disfagia da Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala (2014-2017);

    Formadora e palestrante nas áreas de dificuldades alimentares infantis, em Portugal e na Espanha desde 2014.

    Docente da UC: Estimulação Sensório-Motora em Pediatria na Pós-Graduação/Especialização em Motricidade Orofacial desde 2010 e da UC: Disfagia Infantil na Pós-Graduação/Especialização em Disfagia Orofaríngeas desde 2017 no Instituto EPAP

    Docente da UC: Motricidade Orofacial com intervenção em Pediatria no Mestrado em Motricidade Orofacial e deglutição da Escola Superior de Saúde de Alcoitão & Instituto EPAP (2014 -…)

    Docente das UC Motricidad orofacial en Pediatria; Estimulacion Sensorial motora ora y facial:  do Máster em Motricidad Orofacial da FUB Fundación Universitária del Bages e Instituto EPAP (2015-…)

    Docente da UC Motricidad y Sensibilidad Orofacial en Neonatología no Máster de Intervención Logopédica en Motricidad Orofacial na Universidad Complutense de Madrid & Instituto EPAP (2018-2019)

Formador(es)

Conteúdos Programáticos

  • UC1 - SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO E ALIMENTAÇÃO NA POPULAÇÃO INFANTIL

    TM1 Embriologia e anatomo-fisiologia das funções estomatognáticas

    TM2 Do desenvolvimento sensório-motor global ao desenvolvimento sensório-motor oral

    TM3 Prevenção nas dificuldades alimentares infantis

    TM4 Processamento oral do alimento

  • UC2 -ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR NAS PERTUBAÇÕES ALIMENTARES PEDIÁTRICAS

    TM5 Perturbação alimentar pediátrica e co-morbilidades clínicas

    TM6 Alimentação e nutrição na população infantil

    TM7 Medicina dentária e higiene oral na criança

    TM8 Osteopatia pediátrica nas dificuldades alimentares

  • UC3 - AVALIAÇÃO NAS PERTURBAÇÕES ALIMENTARES NEOPEDIÁTRICAS

    TM9 Avaliação Clínica

    TM10 Nasofibroscopia e Videofluroscopia da Deglutição

  • UC4 - INTERVENÇÃO NAS DIFICULDADES ALIMENTARES NEOPEDIÁTRICAS

    TM11 Princípios básicos na atuação do Terapeuta da Fala

  • UC5 - ATUAÇÃO DO TERAPEUTA DA FALA NO NEONATO E NO LACTANTE

    TM12 Atuação do TF nas dificuldades alimentares no RN

    TM13 Avaliação e intervenção nas disfunções orais na amamentação em idade pediátrica

  • UC6 - AVERSÃO, RECUSA E SELETIVIDADE ALIMENTAR

    TM14 Integração sensorial e alimentação

    TM15 Aversão, recusa e seletividade alimentar na perspetiva do TF

    TM16 A Atuação da Psicologia

  • UC7 - QUADROS CLÍNICOS E SÍNDROMES GENÉTICAS COM IMPACTO NA ALIMENTAÇÃO

    TM17 Especificidades da atuação do Terapeuta da Fala nas dificuldades alimentares pediátricas

  • UC8 - DIFICULDADES ALIMENTARES NAS MALFORMAÇÕES CRANIOFACIAIS

    TM18 Avaliação e intervenção médica

    TM19 O contributo do Odontopediatra

    TM20 Atuação do TF

  • UC9 - PERTURBAÇÕES MIOFUNCIONAIS ORAIS E ALIMENTAÇÃO

    TM21 Principios básicos de ORL

    TM22 Ortopedia Funcional dos Maxilares e Ortodoncia

    TM23 Avaliação e intervenção em perturbações miofuncionais orais com repercussões na função alimentar da criança

    TM24 Freio lingual e dificuldades alimentares

  • UC10 - INTERVENÇÃO INTERDISCIPLINAR NA CRIANÇA COM DIFICULDADES ALIMENTARES E PATOLOGIA NEUROMOTORA

    TM25 A relação entre o motor global e o desempenho na alimentação

    TM26 Ajudas técnicas e sensoriais para a alimentação

    TM27 Práticas de avaliação e intervenção na Terapia da Fala

  • UC11 - ATUAÇÃO EM UNIDADES DE CUIDADOS INTENSIVOS PEDIÁTRICOS

    TM28 Ventilação mecânica invasiva e não invasiva em pediatria

    TM29 Disfagia e cuidados paliativos na população infanto-juvenil

  • UC12 - PRÁTICA CLÍNICA BASEADA NA EVIDÊNCIA CIENTÍFICA

    TM30 Temas aprofundados

    TM31 Discussão de casos clínicos

     

Newsletter + EPAP

Mensalmente selecionamos para si informações com a garantia dos profissionais do nosso instituto.

Subscrever

DGERT