Pós-graduação em Ventilação Mecânica Nível 1

ed. Algarve . 2016

entrar

Início a 21
de outubro
2016



[supsystic-social-sharing id='2']

Enquadramento

A ventilação mecânica consiste numa estratégia de intervenção para o tratamento de doentes com insuficiência respiratória aguda, crónica ou crónica agudizada. Tendo como objectivo principal a manutenção das trocas gasosas, através da correção da hipoxémia e ou da acidose respiratória associada à hipercapnia. Esta promove o alivio do trabalho da musculatura respiratória que em situações agudas está aumentado, reduzindo o desconforto respiratório e o consumo de oxigénio.

O suporte ventilatório divide-se em dois grandes grupos: ventilação mecânica invasiva e ventilação mecânica não invasiva. Em ambas as técnicas, a ventilação artificial é conseguida com a aplicação de pressão positiva nas vias aéreas. A diferença entre elas está na forma de entrega da pressão/volume: enquanto na ventilação invasiva se utiliza uma prótese introduzida na via aérea, na ventilação não invasiva, utiliza-se uma máscara como interface entre o paciente e o ventilador.

A ventilação mecânica invasiva é um assunto complexo e de extrema necessidade nas unidades de doentes críticos. Manipular com segurança um ventilador mecânico bem como aplicar parâmetros adequados para cada tipo de patologia, é um fator eminente para a manutenção da vida e progresso de doentes que necessitam de suporte ventilatório.

O desmame ventilatório é também um processo muito importante na ventilação mecânica, com um impacto grande nos tempos de internamento é ainda controverso qual o melhor momento para iniciar o processo de retirada do ventilador, mas é amplamente aceite a necessidade de protocolos de reconhecimento de doentes aptos a serem extubados.

Também a ventilação não invasiva se tem instituído no tratamento de patologias respiratórias, agudas e crónicas, e estudos apontam para uma diminuição da taxa de entubação orotraqueal, da taxa de mortalidade, do tempo de internamento hospitalar, bem como, uma maior estabilização clínica e melhor qualidade de vida do doente no domicílio, em doentes bem seleccionados.

O sucesso da ventilação não invasiva está diretamente relacionado com a tolerância e a colaboração do doente, mas também com as competências dos profissionais de saúde na correta aplicação e monitorização, assim como na capacitação do doente numa perspectiva de alta e no seu acompanhamento domiciliário.

O desenvolvimento tecnológico na área da ventiloterapia, oxigenoterapia e telemedicina tornou possível que doentes com Insuficiência Respiratória Crónica que habitualmente eram tratados em meio hospitalar, pudessem agora ser tratados em casa, reduzindo custos e contribuindo para um maior conforto e qualidade de vida dos doentes e famílias.

Horário e Local

Instituto epap

180 horas teórico-práticas
Um encontro mensal de 20 horas

6ª feiras das 19h00 às 22h00
Sábados das 09h00 às 19h
Domingos das 09h00 às 18h

As aulas deste curso serão realizadas em dois hospitais: Hospital Particular do Algarve - Gambelas (clique aqui para ver mapa), Faro e Hospital Particular do Algarve - Alvor (clique aqui para ver mapa)

Módulos 1, 17, 18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25 e 26 - Hospital Particular do Algarve - Gambelas, Faro.

Módulos 2, 3, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15 e 16 Hospital Particular do Algarve - Alvor.

Propinas e outras modalidades de pagamento

1.ª Propina: 5 a 8 de outubro de 2016;
2.ª Propina: 5 a 8 de novembro de 2016;
3.ª Propina: 5 a 8 de dezembro de 2016;
4.ª Propina: 5 a 8 de janeiro de 2017;
5.ª Propina: 5 a 8 de fevereiro de 2017;
6.ª Propina: 5 a 8 de março de 2017;
7.ª Propina: 5 a 8 de abril de 2017;
8.ª Propina: 5 a 8 de maio de 2017
9.ª Propina: 5 a 8 de junho de 2017;
10.ª Propina: 5 a 8 de julho de 2017.

Duração

10 meses

Destinatários

Médicos, Enfermeiros, Fisioterapeutas, Terapeutas da Fala, Terapeutas Ocupacionais e Técnicos de Cardiopeneumologia.

Certificação

Pós-graduação certificada pela DGERT - Direção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho. O Certificado de Formação Profissional é emitido no fim da formação, se o formando obtiver aproveitamento. Emissão ao abrigo da Portaria 474/2010 de 8 de Julho, através do Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO). O certificado de conclusão de curso, o histórico de notas e a declaração de cálculo da média da formação, será entregue após a conclusão do ciclo de estudos com aproveitamento e quitação do valor total da formação, sendo o emolumento cobrado de 90€ (noventa euros) para emissão da referida documentação (certificado, histórico de notas e a declaração de cálculo da média).

Objetivos

Proporcionar ao aluno conhecimentos teóricos e correcta aplicação prática na ventilação mecânica invasiva e não invasiva capacitar para maior domínio e segurança na manipulação de um ventilador mecânico.

Este curso fornece competências básicas ao aluno na utilização do suporte ventilatório não invasivo e invasivo, através dos seguintes conteúdos: estudo das indicações, contra-indicações e complicações; conhecimento e escolha do interface ideal em cada situação clínica; estratégia inicial para o uso da ventilação na insuficiência respiratória aguda e crónica; técnicas de suporte ventilatório; modalidades, modos e parâmetros na interação doente-ventilador; factores preditivos para o sucesso e desmame do suporte ventilatório; utilização do suporte ventilatório não invasivo pós desmame da ventilação mecânica invasiva; cuidados respiratórios domiciliários.

Número Clausus

O curso funcionará com um mínimo de 15 e um máximo de 30 inscrições.

A seriação será realizada segundo a ordem de inscrição e matrícula até ao término das vagas.

Propinas e modalidades de pagamento

A Pós-graduação tem valor total de 1.890 € - Poderá ser paga totalmente em uma única parcela (5% de desconto) ou poderá ser paga até o máximo 11 vezes, ou seja, Matricula 90€ (noventa euros) + 10 vezes de 180€ (cento e oitenta euros)

Prazos

Inscrições abertas até dia 16 de setembro de 2016

Outras informações

1.O Instituto epap reserva o direito de não realizar a formação se não for preenchido o número mínimo de vagas.

2. Existe o direito à devolução do investimento na sua totalidade somente caso o Instituto epap tenha sido informados da intenção de desistência 3 semanas antes do início da formação, ou, a qualquer momento, mediante comprovação, por falecimento do cônjuge, parente ou afins, ou que por doença prolongada haja um impedimento de frequentar a formação.

Apoio

Corpo Docente

voltar ao menu

Anabela Pinto
Alexandre Baptista
Bruno Piçarra
Carlos Alves
Cláudia Dias
Cristina Granja
Cristina Lutas
Inês Belchior
João Pereira
Lígia Pires
Nelson Nabais
Nuno Ferreira
Alexandre Batista
Paulo Abreu
Paulo Silva
Raquel Vieira
Rodrigo Catarino
Rui Cintra

Coordenação

voltar ao menu

Patrícia Mendes
Rui Cintra

Conteúdos Programáticos

voltar ao menu

UC1

Introdução ao Sistema Cardiorespiratório

MD1 . Anatomia e Fisiologia Cardiorespiratória;

MD2 . Insuficiencia Respiratória;

MD3 . Imagiologia aplicada à VM;

MD4 . Sedação e analgesia;

UC2

Príncipios Básicos da Ventilação Mecânica

MD5 . Introdução à Ventilação Mecânica;

MD6 . Modos de Suporte Ventilatório;

MD7 . Monitorização da Ventilação Mecânica;

UC3

Ventilação Mecânica por Patologia

MD8 . Doenças Neurológicas e Neuromusculares;

MD9 . Doenças Cardiovasculares;

MD10 . Doenças Obstrutivas;

MD11 . Ventilação Mecânica no Doente Crítico;

UC4

Fundamentos Práticos da VMNI: técnicas de avaliação e intervenção

MD12 . Particularidades do Material em VMNI;

MD13 . Adaptar o doente à VMNI e Troubleshooting na VMNI ;

UC5

Fundamentos Práticos da VMI: técnicas de avaliação e intervenção

MD14 . Inicio da Ventilação Mecânica;

MD15 . Complicações da VM;

MD16 . Transporte do Paciente sob VM;

MD17 . Desmame Ventilatório;

MD18 . Especificidades no doente Traqueostomizado;

UC6

Ventilação Mecânica no Domicílio

MD19 . Plano de Alta do doente Ventilado;

MD20 . Ventilação Mecânica Domiciliária ;

UC7

Seminários em Ventilação Mecânica

MD21 . Exercício e Reabilitação no Doente Respiratório;

MD22 . Telemonitorização;

MD23 . Manejo de Secreções no Doente Respiratório;

MD24 . Humanização e Ética;

UC8

Casos Clínicos

MD25 . Oficina: ventilação mecânica na IRA;

MD26 . Oficina: Ventilação Mecânica na IRC;